Limpando o armário


Abro a porta cuidadosamente. Ao ver como o armário já estava cheio a solução me veio à mente: preciso de um armário novo e maior. Meus olhos procuravam apenas um espaço em que não houvesse nada. Inútil. Pilhas e mais pilhas. Amontoadas.

Questionava-me o que todas aquelas coisas estavam fazendo ali. Tantas coisas que pertenciam ao passado. Tão antigas, mas que não consegui me livrar. Quando não sabia o que fazer simplesmente corria e as guardava no armário. Se eu ficava triste as colocava junto com minhas lágrimas. E quando sentia medo, as trancava. Deveria ter tomado alguma atitude. Feito algo! Arrumado toda aquela bagunça ou jogado fora.

Sentada em frente à porta do armário tentava me lembrar como todas aquelas coisas foram parar ali. Havia coisas demais. Sabe quando um armário está tão cheio que quando você vai abri-lo tudo desaba sobre sua cabeça? Como uma onda enorme que te derruba. A porta ia me empurrando para frente. Tive que levantar para usar toda a minha força contra o armário. Todas aquelas coisas insistiam em lutar para sair.

Você deve estar se perguntando o que havia nesse armário afinal. Ele estava cheio de… PALAVRAS. Todas que deixaram de ser ditas. Aquelas que guardei só pra mim. As que tive medo de dizer. A porta cedeu e a imensa onda me pegou. A força de cada palavra me golpeou e me tirou do chão. Sentia-me totalmente sufocada. Tentei evitá-las, mas agora todas estavam diante de mim. Me encarando. Esperando que eu tivesse um pouco de coragem para admitir: foi inútil tentar fugir. Eu as deveria ter usado quando necessário. Deveria ter dito. A verdade é que foi tão fácil guardá-las no armário por um tempo.

Sabe quando você quer dizer algo, mas parece que na sua garganta tem um nó que te impede? Quando está diante da pessoa e simplesmente… não consegue.  Você acaba colocando no armário aquele pedido de DESCULPAS, porque é orgulhoso demais para admitir que estava errado.  Também guarda aquele pedido: Não vá embora. Fique comigo! Ou então aqueles pedidos que nos levam a um novo passo: namora comigo? Case-se comigo?

No meio daquela bagunça toda pude perceber:

Não dizer algo acabou magoando muito mais as pessoas que eu amava. E ficar em silêncio também me magoou;

Não falar me deixou sem ação. Deixei pessoas saírem da minha vida sem fazer nada. Elas partiram sem ao menos ter noção do quanto realmente significavam para mim. Às vezes aquelas palavras eram o suficiente para ficarem;

Deixei de dizer palavras que poderiam ser o primeiro passo de algo especial;

Tornei as brigas longas e dolorosas demais;

Acabei permitindo que me machucassem por não me impor;

Está mais que na hora de limpar esse armário. Arrumar toda essa bagunça. E se para isso for necessário dizer cada palavra que deixou de ser dita: eu farei! A minha primeira solução além de precoce foi estúpida. É claro que a solução não era arrumar um armário maior e sim não usar armário nenhum. É dizer sempre a verdade nunca acompanhada de grosserias, e sim de sinceridade. É não dizer amanhã o que pode ser dito hoje!

Alfa.

Anúncios

3 Comentários (+adicionar seu?)

  1. nara
    fev 26, 2012 @ 00:21:52

    Pegueiii a fotoo , muiitoo lindaa ! ><
    ameii o blog, to me inspirando nelee ' beeijoss!

    Responder

  2. Paula
    abr 18, 2012 @ 23:24:38

    Amei cada texto que postaram aqui. Eles me ajudaram bastante a perceber muitas coisas em minha vida. Esse texto “Limpando o Armário” é muito lindo.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: